fevereiro 04, 2017

Velório

A saudade ainda aperta meu peito. A boca, tão disposta a falar, já não tem o que dizer e só se ouve o silêncio dos passos na rua.

Ser esfaqueado até a morte ou deitar ensanguentado na calçada esperando as luzes virem buscar? Que a saudade me leve e junto, minhas dores.

Nenhum comentário: