abril 26, 2016

Verde-esperança

A bandeira com a digital
os cheiros das tintas da infância
os sonhos que adorava e nunca entendi

o telefonema dos amigos
o brilho no olhar
o sorriso espontâneo

o cheiro da pele
o cheiro do café diário

a fumaça mentolada

os lugares que passamos

coisas que sempre me lembram
que não sei desistir das pessoas

o verde da esperança ainda brilha
seja para qual caminho for
estarei lá.

Nenhum comentário: