janeiro 21, 2015

Tudo posso naquele que não quero

De tanto querer o azul do céu,
as nuvens brancas de algodão
o verde da grama,
e o marrom da terra

acabou sem nada
nem ninguém

Nenhum comentário: