agosto 28, 2012

Sem mim

Desisto de meus sonhos
na ânsia de levar as coisas.

Faço, faço, faço
continuo fazendo.

As coisas não se encerram.
é tudo como um grande círculo
que nunca acaba.

Estou rodando no tempo
sem mim