outubro 27, 2011

Olhares

ônibus lotado. coisa complicada.
arranjo espaço em meio às pessoas e chego ao fundo da lotação.

depois de ficar em pé algum tempo, percebo um ser me olhando.
olha e não olha. arrepio.

olho de volta. já não olha.
"quero você" - dizia eu mentalmente.

uma pessoa levanta e a cadeira do corredor fica livre.
aumento de tensão. lado a lado com quem tanto me olha.

belos olhos. dentes branquinhos. quero pra mim.
no balançar do ônibus, percebo um esbarrar leve no meu braço.

olho e me olha de volta. a tensão, o desejo controlado,
toma conta de mim.

de repente, encosta em mim:
licença. eu desço aqui.

outubro 25, 2011

Não entendo tanta indecisão.
Se não quer, é só falar.

foi

Destruo tudo
pouco a pouco
um por um

num eterno efeito dominó

outubro 15, 2011

Pinturas mercenárias

Nos contos de fada que ela imaginava
o cavalo branco se mostrou um baita de um filho da puta.

Trouxe consigo um merda, barrigudo e beberrão,
e ainda, de esperto, carregou embora todas as riquezas que a pertenciam.

Belos sonhos pintados por agiotas.

outubro 14, 2011

Desesperança

Na desesperança de seus amores perdidos
seguia sem forças

te vejo hoje a noite...