março 23, 2009

O Quarto Escuro

Depois de alguns anos vivendo entre aquele velho quarto escuro e o mundo aberto, as coisas pareciam que nunca iriam mudar.
Te pegam. Te jogam no quarto escuro. Jogam a chave fora. Pronto. Agora você é o prisioneiro das sombras. Por mais que você veja uma luz vindo por debaixo da porta, a noite sempre vem e termina com essa luz.
Passei alguns anos preso nesse quarto. Eu vivia na cegueira absoluta de um mundo seguro. Não havia surpresas. Não havia perigos. Não havia nada a ser vivido.
O medo cria dois principais caminhos: conformar-se ou lutar contra. Escolhi a segunda opção.
Durante dois anos, joguei-me contra a porta, tentei arrombá-la. Quebrar a grade da prisão. Minhas forças foram se esvaindo. Nunca desisti.
Nos meus últimos devaneios, a porta cedeu e foi ao chão. Já não tinha forças para me manter em pé. A luz chegava aos meus olhos.
Seguindo o caminho desejado, arrastei-me no chão em direção a luz, como o próprio diabo que segue em direção a cruz.
Revi o mundo. Minhas forças voltaram lentamente. Mesmo que o velho quarto escuro me assombre, nada vai me parar.

3 comentários:

Luana Dalla disse...

Isso me lembrou "ensaio sobre a cegueira" de qualquer forma ainda bem a viu a luz novamente

ahsuahsuahsuahsuahs

Caio Abreu disse...

Bom texto, legal seu blog. Vou add aos meus favoritos. Abçs

Marcel disse...

Não gaste todas as suas forças, agora q elas voltaram. Vc vai precisar delas por muito tempo ainda...