agosto 28, 2016

Fiquei trancado aqui no museu.

agosto 26, 2016

Joias

Como pude esquecer minhas joias em cima de uma mesa?
Não fui buscar.

Solidão

Vem e me procura
quer saber por que eu sumi

não temos muito o que falar
um trilho de trem separou nossos destinos

desgovernado, o trem (ou outro personagem desta história)
pede que eu retorne, que eu atravesse o trilho

faço. ninguém está lá.

Vida

O mundo não para. Estou sempre correndo e deixando a vida passar.
Vou continuar meus trabalhos aqui.

agosto 25, 2016

Hora de correr

Era com a certeza nos olhos que dizia que nossa amizade era a melhor. Que seríamos sempre melhores amigos. Do filme romântico à comédia trágica.

As gargalhadas vinham no automático. Quem mais no mundo teria uma história de cinema? E era só o ponteiro do relógio pensar em andar e mais se entrelaçava o destino. A cascavel vinha pronta para devorar a presa.

Poucas palavras, uma distância quase que não-natural e fechei os olhos. Ouvia cada palavra numa sinfonia de violinos desafinados. Eu, que pouco entendo de violinos, fiquei a assistir.

Uma goteira ao fundo do palco indicava perigo. Não estou mais seguro.

Tenho que correr.

agosto 19, 2016

Perdemos o sorriso, a leveza, as conversas
não sei o que fazer

saudade, apenas.

agosto 05, 2016

Estrelas

Naquela noite, olhou aos céus
e pediu às estrelas que nem ali estavam
que trouxessem o brilho que se fora

Num tom de egoísmo ou de puro medo
evitou pensar onde estariam as estrelas
e por que há tanto tempo abandonaram os céus

Teriam elas perdido espaço para Pokémons?
A verdade é que o Cruzeiro do Sul já indicava o norte
e o que indicava o norte já não indicava nada.

Quero só sua companhia, estrela, companheira
Mande o pequeno principe buscar sua rosa
porque estrela, você é, sempre foi e sempre será
só minha.

Por que não fazer diferente? Juntos seremos uma nova constelação.